Skip links

Termina o workshop da União Europeia que apoiou 10 municípios chilenos na gestão mais sustentável de seus territórios

      • A União Europeia está empenhada em criar sinergias com a América Latina destinadas a garantir o desenvolvimento urbano sustentável nas suas cidades
      • O evento contou com a presença de representantes do Governo do Chile, organizações multilaterais como a União Europeia, organizações internacionais e nacionais, setor privado e 27 funcionários municipais.

      Santiago do Chile recebeu, de 9 a 10 de maio, o workshop internacional “Construindo capacidades” sobre a Nova Agenda Urbana (NAU) e o desenvolvimento de cidades inteligentes.

      Depois da Argentina e do Peru, foi a vez do Chile dar mais um passo no Programa Internacional de Cooperação Urbana (IUC) da União Europeia (UE), que promove o progresso fornecendo soluções sustentáveis para os desafios urbanos do século XXI.

      Para isso, os organizadores, entre os quais se encontram também o Adapt Chile e a Associação Chilena de Municípios, tomando o NAU como roteiro, propuseram um evento destinado a reforçar o trabalho de cooperação entre cidades e regiões da América Latina e da Europa. Isso tem sido feito desde 2017.

      Nesse sentido, o evento também serviu para fazer um balanço das experiências de outros países latino-americanos em seus intercâmbios com a Europa, documentando os eventos e compartilhando as melhores práticas como modelo de inspiração para futuras iniciativas. Para isso, contou-se, entre outras personalidades, com a assistência do chefe da seção económica e comercial da União Europeia, Uli Wienrich, e do especialista em desenvolvimento urbano da UE, Florian Steinberg.

      No restante das conferências e atividades, houve oradores de alto nível, que vão desde a linha de frente dos governos municipais, como os prefeitos Gonzalo Durán, Carolina Leitao, Audito Retamal e Claudio Castro, representando os municípios de Independencia, Peñalolé , San Pedro de la Paz e Renca respectivamente, passando por membros de organizações internacionais como Jose Luis Samaniego da CEPAL e Alain Grimard ou Daniel Montandón da ONU Habitat, e de organizações locais como a Jordan Harris, Diretora Nacional da Adapt Chile, o Presidente da Associação Chilena de Municípios e Prefeito de Puente Alto, Germán Codina, ou o Diretor da Agência de Sustentabilidade e Mudança Climática, Giovanni Calderón, para representantes do Governo Regional de Santiago como o Prefeito da Região Metropolitana Karla Rubilar ou Pilar Giménez, do Conselho Desenvolvimento Urbano Nacional.

      Da parte destes especialistas, foram discutidos os principais e transversais desafios refletidos na NAU, documento resultante da conferência das Nações Unidas Habitat III 2016, à qual o Chile é anexado. Entre elas, a eliminação da pobreza multidimensional, a instalação de economias urbanas inclusivas e sustentáveis e a conquista da sustentabilidade ambiental.

      Não devemos esquecer que o principal apelo da NAU é a ação, portanto, os participantes, divididos em quatro grupos, apresentaram propostas destinadas a proporcionar às cidades chilenas novos instrumentos, regulamentos e aliados públicos e privados que garantam que os objetivos sejam alcançados.

    • Chile, onde quase 90% da população vive em áreas urbanas, é um país muito interessante para implementar todos os tipos de medidas destinadas a melhorar a vida dos cidadãos através de um modelo de urbanismo que faça dos centros populacionais chilenos um lugar mais justo, solidário, sustentável e responsável com o meio ambiente.

      Sobre o IUC

      O Programa Internacional de Cooperação Urbana (IUC) visa apoiar as cidades em diferentes regiões do globo para conectar e compartilhar soluções para problemas comuns no desenvolvimento urbano sustentável, no contexto da Nova Agenda Urbana e da luta contra as Mudanças Climáticas. A iniciativa comunitária gira em torno de três eixos principais: cooperação entre cidades, que proporcionará uma plataforma para o intercâmbio de conhecimentos e melhores práticas sobre questões específicas de desenvolvimento urbano; o estabelecimento do Pacto Global de Prefeitos pelo Clima e Energia e, para a América Latina, um programa de intercâmbio entre regiões para estimular o desenvolvimento econômico regional por meio da inovação, competitividade e especialização inteligente.

      Sobre o IUC-LAC (América Latina e Caribe)

      Este é o capítulo para a América Latina e Caribe do programa IUC Global. Com um orçamento de mais de 5 milhões de euros e três anos de duração, serão escolhidas 20 cidades da Argentina, Brasil, Colômbia, Chile e Peru; e 20 regiões desses países para colaborações com suas contrapartes europeias. O Pacto Global de Prefeitos pelo Clima e Energia será estabelecido em 20 países da região.

     

 

Return to top of page