Skip links

Mais de 200 representantes de governos locais de todo o mundo se reúnem em Bruxelas para compartilhar sobre o progresso no desenvolvimento urbano sustentável

O Evento da Cooperação entre Cidades foi realizado no Borschette Congress Center de Bruxelas e serviu para comemorar o terceiro aniversário do Programa Internacional de Cooperação Urbana (IUC). Durante o encontro, dois prefeitos da América Latina e uma instituição foram protagonistas do progresso das iniciativas que promoveram nos três anos do programa e tiveram reconhecimento ressaltado pelos presentes.

 

A América Latina foi protagonista no evento, especialmente quanto ao progresso das iniciativas que promoveram durante o programa. Destaca-se a prefeitura de Cali (Colômbia), representado pela especialista em resiliência e sustentabilidade do prefeito de Cali, María Fernanda Arias Giraldo, por seu trabalho em pós-conflito e violência com Belfast; a cidade de Godoy Cruz (Argentina), representada por Tadeo García, por seu trabalho na área de participação cidadã; e o Fórum Cidades pela Vida (Peru), representado por sua diretora Liliana Miranda, exaltada por seu trabalho no fortalecimento municipal na prevenção das mudanças climáticas.

La representante de Cali, María Fernanda Arias Giraldo

Com um formato que buscava dar voz aos participantes do programa para relacionar suas experiências de trabalho com outras cidades, o evento foi dividido em vários blocos: no primeiro, tratou-se sobre desenvolvimento urbano sustentável, com foco no planejamento e desenvolvimento de ações concretas; no segundo bloco o tema foi financiamento de ações climáticas locais. Durante o período vespertino, houve conversas em três blocos diferentes abordando: transição para energias limpas, soluções naturais para problemas urbanos, economia circular e mobilidade sustentável; e participação dos cidadãos na construção de cidades inteligentes e adaptação das costas.

O bloco “Do planejamento à ação” contou com a presença de María Fernanda Arias Giraldo, do prefeito de Cali, que destacou o excelente trabalho realizado no programa IUC-LAC com sua cidade-parceira europeia, Belfast. “Nesse intercâmbio com Belfast, descobrimos que eles têm uma questão de justiça restaurativa muito bem trabalhada, que em Cali ainda está começando e na qual temos muito a avançar. Por seu lado, descobriram que em Cali os programas e projetos voltados à prevenção da violência são mais voltados para questões psicossociais e que, em seus programas, a saúde mental não funcionava suficientemente, o que causou uma forte segregação e prejudicou a superação de conflito ”, disse Arias.

O representante colombiano também enfatizou que Belfast os ensinou muito sobre o uso de espaços físicos e “como Belfast constrói um parque ou um centro esportivo que procura mudar os hábitos da comunidade”. “Outro ponto que aprendemos é que a arte urbana se torna muito importante nas cidades para integrar os jovens”, concluiu.

Na segunda sessão, “Implementando e financiando ações climáticas locais”, a América Latina destacou a participação da diretora do Fórum Cidades pela Vida do Peru, Liliana Miranda, que tratou sobre a cronologia da instituição que ela dirige e afirmou que quando trabalhavam na lei das mudanças climáticas, o Pacto Global de Prefeitos pelo Clima e Energia surgiu e se encaixou perfeitamente. “Estávamos trabalhando nisso e, graças ao Pacto e aos pequenos fundos, pudemos acompanhar os municípios em um processo mais sustentado para o desenvolvimento de suas capacidades e a elaboração de seus planos de ação climática.”

A Diretora do Foro Ciudades para la Vida no Peru, Liliana Miranda, durante seu discurso

Miranda disse que 2019 foi um ano fundamental para o FCV, juntamente com o Pacto, porque eles “trabalharam o ano todo em oficinas e em um guia para os municípios desenvolverem seus planos de adaptação”.

Sobre a participação cidadã, a participação de Tadeo García, prefeito de Godoy Cruz, destacou que foi um grande aprendizado participar de um painel sobre o compromisso dos cidadãos e atores locais de construir cidades inteligentes com outras cidades como Japão, Croácia, França e Argentina . “Supõe-se certas coisas em países muito desenvolvidos como o Japão, mas eles têm problemas como acesso à tecnologia para idosos”.

O prefeito de Godoy Cruz, Tadeo García Zalazar, durante seu discurso

O representante argentino disse que tirou “muitas ideias do programa” e que agora trabalharão para adaptar todas essas ideias localmente. Além disso, ele afirmou estar interessado em casos envolvendo cidades pequenas, como campos de jovens onde são discutidas questões sobre mudanças climáticas ou o uso do Big Data da China para trazer informações a certos segmentos da população e fazê-los participar em relação ao transporte público.

Return to top of page