Skip links

COOPERAÇÃO ENTRE REGIÕES

Os governos regionais da América Latina e Caribe realizaram projetos de cooperação com seus respectivos pares da União Europeia, a fim de promover a inovação, sustentabilidade e novas oportunidades para empresas e para seus cidadãos. Esta iniciativa do Programa Internacional de Cooperação Urbana (IUC) finalizou suas atividades e promove boas práticas para futuros projetos.

Seis países latino-americanos e dez da União Europeia participaram do projeto, a envolvendo tópicos como:

Relatório do Joint Research Center sobre cooperação entre regiões da UE e da América Latina e Caribe

Todas as informações aqui descritas, bem como outras, podem ser encontradas no Relatório publicado pelo Joint Research Center, o serviço de pesquisa da Comissão Europeia. Clique para acessar a publicação:

ENGLISH

Report of the Joint Research Center detailing the cooperation between regions from European Union and Latin America and the Caribbean

ESPAÑOL

PRONTO

Informe del Joint Research Center que detalla la cooperación entre regiones de la Unión Europea y América Latina y el Caribe

PORTUGUÊS

EM BREVE

Relatório do Joint Research Center detalhando a cooperação entre regiões da União Europeia e da América Latina e Caribe

Estes são os países que participaram da iniciativa IUC-LAC para a cooperação entre regiões:

Estes são os países que participaram da iniciativa IUC-LAC para a cooperação entre regiões:

AMÉRICA LATINA

UNIÃO EUROPEIA

Cooperação entre União Europeia e América Latina e Caribe: Benefícios e Desafios

O IUC é uma iniciativa da União Europeia de alcance global, porém a América Latina demonstrou seu potencial como uma região dinâmica e aberta aos métodos do programa e à cooperação internacional.

De forma geral, a cooperação entre regiões contribuiu com a intenção de explorar áreas potenciais de inovação das regiões da União Europeia. Também facilitou a identificação de pontos fortes e prioridades para investimento, assim como permitiu a mobilização de atores importantes para inovação. Partes interessadas de administrações públicas, empresas, organizações de pesquisa, universidades e da própria sociedade civil se empenharam em ações dentro da cooperação e para o desenvolvimento da região.

O resultado da cooperação é o benefício mútuo das regiões de ambos os continentes, impulsionando empregos, crescimento, investimento e inovação, uma vez que permite que cada região identifique e explore suas vantagens competitivas para subir nas cadeias globais de valor. Assim, a metodologia implementada pelo projeto beneficia regiões do mundo todo, uma vez que é adaptável a territórios diferentes; promove transformações econômicas e a construção de ecossistemas regionais robustos de inovação; e facilita a adoção de políticas relacionadas a Agenda 2030 das Nações Unidas e aos Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Benefícios para a União Europeia

Benefícios para as regiões latino-americanas

Desafios identificados

A interação entre a UE e a América Latina também realça alguns desafios presentes no caso latino-americano. Dentre as dificuldades observadas pela interação entre as regiões, podemos citar:

O financiamento é considerado a maior barreira para a implementação dos projetos de cooperação na América Latina. Neste sentido, se as regiões da América Latina não conseguem obter financiamento desde o início do processo, provavelmente a definição de uma política de inovação não será aplicada ou desenvolverá benefícios concretos para o local. Por isso, faz-se necessário compreender que tipos de pesquisa e inovação podem ser financiadas por diferentes agentes de financiamento no início do projeto, a fim de possibilitar uma estratégia de inovação com atuação e comprometimento de diferentes atores.

Cooperação na prática: a Metodologia de Especialização Inteligente

Há menos de uma década, a Metodologia de Especialização Inteligente (RIS3) era lançada na União Europeia e já era composta pelo desejo de promover a cooperação entre regiões e países. O Joint Research Center (JRC) guiou os Estados-membros da União Europeia a implementarem mais de 120 Estratégias de RIS3. No âmbito das Plataformas Temáticas da Metodologia de Especialização Inteligente em energia, agro-alimentação e modernização industrial, mais de 160 regiões da UE colaboraram em mais de 30 parcerias entre regiões.

Esta Metodologia é definida por quatro características principais:

Na prática, a Metodologia RIS3 analisa o contexto regional, diagnosticando os ativos locais e identificando suas prioridades, a fim de promover as áreas mais promissoras. Dessa forma, a metodologia utiliza o Processo de Descoberta Empreendedora (EDP) como forma de dialogar com os atores locais, a fim de identificar, validar e decidir quais as prioridades de inovação da região ou país. Na UE, o EDP é percebido de forma positiva, uma vez que aumenta a confiança entre os atores envolvidos e no setor público, engaja as partes interessadas no desenvolvimento da região e melhora o processo de tomada de decisões de políticas públicas.

Estudos de caso

Para entender como funcionou a Metodologia de Especialização Inteligente na prática, trazemos alguns estudos de caso que possam representar alguns dos resultados concretos que foram desenvolvidos através do programa. Nesse sentido, o Programa IUC é visto pelas administrações das regiões participantes como um facilitador para identificar parceiros de colaboração; incentivar o aprendizado; e trabalhar em rede.

A cooperação das regiões de Colima (México) e Extremadura (Espanha) no âmbito do Programa IUC levou à construção de uma relação para além do projeto, com a assinatura de um Memorando de Entendimento que abrange tópicos de interesse mútuo entre ambos participantes, como: a agroindústria, Tecnologia de Informação e Comunicação e economia circular. O planejamento das regiões é que esta parceria possibilite, na prática:

La cooperación de las regiones de Colima (México) y Extremadura (España) en el ámbito del Programa IUC condujo a la construcción de una relación más allá del proyecto, con la firma de un Memorando de Entendimiento que cubre temas de interés mutuo entre ambos participantes, tales como: agronegocio, tecnología de la información y la comunicación y economía circular. La planificación de las regiones es que esta asociación permita:

  • O desenvolvimento de um protocolo para exportação e importação de frutas
  • Troca de metodologias e modelos de gestão, visando a criação de um parque tecnológico em Colima
  • Estabelecimento de um centro de economia circular em Colima

O emparelhamento das regiões de Cioeste e Bielsko-Biara focou em temas relacionados à Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC) e possibilitou crescimento em várias áreas. As regiões desenvolveram:

  • Projetos conjuntos entre Associações Científicas de Estudantes de universidades de ambas as regiões
  • Iniciativas no setor de indústrias criativas, como Hackathons, Dias de TI e Eventos de TIC
  • Fortalecimento da cena de empresas Start-ups

Além disso, a parceria estabeleceu dois acordos comerciais:

  • Entre a Evatronix e as empresas brasileiras de Digitalização 3D
  • Entre mineração verde e empresas polonesas em logística reversa e economia circular impulsionadas por blockchain

A partir da cooperação entre as regiões de Bogotá-Cundinamarca e Lácio, formalizou-se um Memorando de Entendimento, como forma de simbolizar a intenção de parceria em várias áreas. Além de um símbolo, o documento será usado para promover um desenvolvimento social e econômico notavelmente sustentável, em conformidade com a Agenda 2030 das Nações Unidas.

Outros emparelhamentos também possuem a sustentabilidade como foco, por exemplo:

A cooperação das regiões de Yucatán (Mexico) e Liubliana (Eslovenia) gerou:

  • Incorporação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável na estratégia do Plano de Desenvolvimento do Estado pela administração de Yucatán
  • Adoção de ações orientadas à sustentabilidade como forma de solucionar os desafios de mobilidade em Liubliana

RECURSOS RELACIONADOS

Return to top of page