Skip links

Belo Horizonte e portugueses de Almada iniciam projeto de cooperação urbana

No âmbito da Cooperação entre Cidades do Programa Internacional de Cooperação Urbana (IUC) lançado pela União Europeia, representantes das cidades de Almada (Portugal) e de Belo Horizonte, se encontraram durante os dias 5 a 9 de novembro para a primeira missão do projeto de desenvolvimento urbano sustentável, que tem como objetivo de levantar questões e buscar novas soluções para: Mobilidade Urbana e Gestão das Águas, Biodiversidade, Economia Verde, Infraestrutura Inteligente e Eficiência Energética.

Os portugueses participaram de uma programação intensa, que incluiu visitações ao Centro de Integrado de Operações de Belo Horizonte (COP-BH), BHTrans, ao Programa Vila Viva na área de habitação social, Consórcio de Recuperação da Bacia da Pampulha, onde trabalham na recuperação da Lagoa da Pampulha, importante espaço de lazer para a cidade, que chegou a um nível muito alto de poluição, à Biofabrica de criação de joaninhas para combate de inimigos naturais, à uma Parceria Público Privada na área de iluminação pública, ao Projeto de Corredor Ecológica com a promoção de agricultura urbana, e também tiveram a oportunidade de assistir apresentações sobre Energia Limpa feitas pelo Consórcio Minas Arena, no Estádio de Futebol Mineirão, entre outras atividades.

A delegação portuguesa foi recebida pelo secretário-adjunto de Planejamento, Orçamento e Gestão e subsecretário de Modernização da Gestão, Jean Mattos Duarte; pelo subsecretário de Assuntos e Investimentos Estratégicos, Marcos Mandacaru; pelo subsecretário de Meio Ambiente, Reginaldo Junqueira, o diretor de Relações Exteriores da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Hugo Salomão, entre outras autoridades municipais. A delegação de Almada é formada pela diretora de Inovação, Ambiente, Clima e Sustentabilidade, Catarina João de Sousa Marques de Freitas; o chefe de Divisão de Inovação, Ambiente, Clima e Energia, Nuno Luís Bengala Reis da Cunha Lopes; o diretor da Ageneal, Carlos Miguel Flôxo Contente de Sousa; e o técnico da Ageneal, João Filipe Cleto Nunes. “A cidade de Almada está com bastante expectativa em trabalhar a cooperação com Belo Horizonte”, comentou a diretora do Departamento de Inovação e Sustentabilidade de Almada, Catarina de Freitas.

 


O subsecretário de Assuntos e Investimentos Estratégicos, Marcos Mandacaru, explicou aos portugueses que a Prefeitura de Belo Horizonte trabalha fortemente na agenda de inovação e sustentabilidade. “Temos potencial nas áreas de mobilidade e energia solar na área de cooperação. Queremos promover Belo Horizonte como cidade que atrai investimentos”, ressaltou.

As duas cidades encontraram vários pontos em comum. Os portugueses voltam para Portugal com experiências e legislações para compartilharem em suas cidades, bem como prioridades para organizar a visita de Belo Horizonte a sua cidade no próximo ano.

Na próxima missão, a delegação de Belo Horizonte visitará Almada para a segunda parte do intercâmbio, quando será finalizado o plano de ação de ambas as cidades e formulado um projeto piloto para ser trabalhado em conjunto.

Sobre IUC
O Programa Internacional de Cooperação Urbana (IUC) tem como objetivo apoiar cidades em diferentes regiões do mundo para conectar e compartilhar soluções para problemas comuns em relação ao desenvolvimento urbano sustentável e da luta contra as Mudanças Climáticas. A iniciativa comunitária está baseada em três áreas principais: a cooperação entre cidades que proporcionará uma plataforma para o intercâmbio de conhecimentos e melhores práticas em desenvolvimento urbano; o estabelecimento de uma aliança global de prefeitos para o Clima e a Energia; e, para a América Latina, um programa de intercâmbio entre regiões para estimular o desenvolvimento econômico por meio inovação, competitividade e especialização inteligente.
Para a região da América Latina e Caribe, o IUC-LAC, o programa, com três anos de duração, tem previsto um orçamento de aproximadamente 5 milhões de euros e prevê a participação de 20 cidades da Argentina, Brasil, Colômbia, Chile e Peru, para colaborações com seus homólogos europeus. O Pacto Global dos Prefeitos para o Clima e Energia será estabelecido em 20 países da região.

Return to top of page